Slide

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

A importância de conhecer os elementos de Versificação


A importância de conhecer os elementos de Versificação


Hoje, a poesia não tem regras, benefício alcançado pelo modernismo no século passado. Começaram conseguindo algumas flexibilizações, que foram aumentando, aumentando, aumentando, até que hoje a liberdade é tanta que qualquer coisa pode ser chamada de poesia.
Assim, muitos optam pelo verso livre, aquele que abre mão de rimas, métrica, formas fixas, entre outros elementos de versificação.

Logo, já que posso escrever uma poesia livre de qualquer regra, eu preciso conhecer elementos de versificação?

Como um bom atacante


A resposta é sim! Para exemplificar o meu ponto, uma analogia.
Suponhamos que você seja um jogador de futebol, um atacante. O seu ponto forte é chutar forte com a perna direita. Assim, se a bola sobrar na sua frente e você mandar a bomba de direita, há grandes chances de fazer um gol, certo?
 Certo!
Porém, o que acontece se um companheiro de time cruzar uma bola alta? E se, por acaso, o passe vier para a sua perna esquerda? E se a bola vier à meia altura? E se o goleiro estiver muito perto de você? São situações muito prováveis de acontecer num jogo de futebol.
O que faz então um bom atacante? Treina outros fundamentos. Assim, se você aprende a cabecear, pode usar este recurso quando a bola vier alta; se aprender a chutar de esquerda, pode usar esta perna quando a bola estiver mais perto dela; se aprender a chutar colocado, tem mais chances de vencer um goleiro que esteja muito perto. O seu ponto forte continuará sendo a bomba de direita, mas agora você tem muito mais recursos para aproveitar qualquer situação de jogo.
Então, quando a bola vem à meia altura, você pode escolher a melhor opção entre várias para finalizar a jogada, porque você sabe um pouco de tudo.

A versificação é o seu treino de fundamentos


Com a poesia, temos a mesma situação. A importância de se conhecer os elementos de versificação é diversificar seu repertório.
Você pode continuar escrevendo verso livre, claro, mas agora vai ter mais embasamento do porquê opta por este tipo de recurso. Assim, quando surgir a inspiração ou uma boa ideia, você pode achar melhor fazer um poema rimado, para aproveitar a sonoridade da palavra chave; pode também pensar em uma forma fixa, que guie o leitor, como um soneto ou uma balada; pode achar a oportunidade para usar mote/glosa; pode construir versos dentro de uma métrica; ou pode ser melhor aproveitar a liberdade do verso para investir em oralidade.
Conhecendo todos estes elementos, você pode escolher os que melhor se aplicam para o momento. Pode usar de tudo! Sua gama de opções aumenta e o poder do seu verso, também.

O dilema da poesia contemporânea


Hoje, muitos, senão a maioria dos poetas desconhecem as regras, mesmo as mais básicas. Entendam uma coisa: aqueles que iniciaram o modernismo, dominavam a versificação. Bandeira, Mario de Andrade, Drummond, eram ótimos versificadores. Por isso o movimento teve sucesso, eles sabiam exatamente o que pretendiam ao desconstruir o poema.
Prova disso é o poema “os sapos”, que foi marco do modernismo, lido na semana de 1922. Bandeira o construiu perfeitamente metrificado e rimado, em quadras de redondilhas menores. Ele criticou a poesia versificada utilizando a própria versificação:

“O sapo-tanoeiro,
Parnasiano aguado,
Diz: - "Meu cancioneiro
É bem martelado.

Vede como primo
Em comer os hiatos!
Que arte! E nunca rimo
Os termos cognatos.”

Com o passar dos anos, o conhecimento foi se perdendo. As novas gerações que conduziram o verso livre abandonaram cada vez mais a compreensão da versificação, até que hoje, a maioria nem sabe mais escandir um verso. O poema moderno é uma arte de transgressão, mas hoje não se sabe mais qual é a transgressão pretendida no poema, tampouco se sabe justificar o porquê das construções poéticas. A verdadeira transgressão hoje, numa total inversão de valores, é a própria utilização da versificação!

Conclusão


Meu ponto, caro leitor, é que apenas o conhecimento dos elementos de versificação permite a construção da boa poesia, incluindo o verso livre. Não precisa ser um especialista em poesia, capaz de escrever um tratado, não é isso. É apenas saber sobre rimas, saber escandir e metrificar, conhecer algumas formas fixas.
Você vai crescer como poeta, vai saber utilizar a técnica certa no momento certo. Vai ser o artilheiro do campeonato! Por mais contraditório que pareça, conhecer um pouco das antigas regras vai tornar o seu verso livre muito melhor.

E você, leitor? Você escreve? Você conhece um pouco da versificação? O que achou da coluna? Faça seus comentários! 



22 comentários:

  1. Hey! Legais as dicas... me lembrou as aulas sobre versificação que tive no ensino fundamental, eu lia muita poesia naquela época por conta da minha mãe que cobrava boa leitura de mim e escolhia poesia para que eu treinasse... então eu amava essas regrinhas e tudo o mais... rs

    Raíssa Nantes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Raissa! Minha paixão pelo verso vem da mesma época também, as aulas de versificação simples no colégio me marcaram bastante e me incentivaram a me aprofundar cada vez mais no assunto!

      Excluir
  2. Oiii!

    Eu achei o post maravilhoso! Por não sei escritora, não utilizaria muito, mas achei legal para os escritores, vou passar a dica para frente!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ana, obrigado por divulgar! Acho que mais conhecimento em assuntos nunca é demais né? Bjs!

      Excluir
  3. Oiee Leandro ^^
    Ando me interessando por poesia há algum tempo, e, por mais que ache bacana que as pessoas não precisem ficar seguindo regras ao escrever (como acontecia antigamente), ainda prefiro as poesias com rimas...hehe' ficam tão mais bonitas ♥
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Dryh! Pois é, temos o mesmo gosto neste ponto, nada substitui pra mim uma boa rima, sabe? Mas a poesia livre é muito boa também, só não pode chegar naquele ponto que qualquer coisa vira poesia né? Por isso é importante conhecer um pouco de regras.

      Excluir
  4. Não, não escrevo poesias e acho que por conta disso o post não foi tão esclarecedor para mim. Maaaas, eu acredito que a construção seja sim algo muito importante nas poesias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bianca, com certeza...mais que a construção em si é se saber porque se está construindo de determinada forma. Bjs

      Excluir
  5. Olá,

    Já me interessei muito por poesia no passado, hoje não é mais minha praia. Enfim, achei as dicas muito boas e que pode ajudar escritores iniciantes.
    Parabéns pelo post!

    Beijos,
    http://entreoculoselivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Thayenne. Puxa, espero que a poesia volte a te interessar um dia, mas eu te entendo. Um dia farei uma coluna falando sobre isso, fique ligada aqui no blog!
      Bjs!

      Excluir
  6. Adorei a coluna, as dicas são super válidas para quem escreve, e embora eu ainda não tenha me arriscado na escrita, pretendo embarcar nessa aventura algum dia. Parabéns pelo post.

    Bjs, Glaucia
    www.maisquelivros.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Glaucia! Obrigado pelo elogio, embarque sim, mande seus poemas pra mim, eu adoro ler as novidades! Bjs

      Excluir
  7. Que post interessante. Verdade que ultimamente as pessoas não pensam muito nesse ponto quando escrevem poemas, mas antigamente era uma regra né! Estudei isso em literatura, bateu ate saudades da escola kk!

    www.memoriasdeumaleitora.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Suzane. Antigamente não se aceitava poesia sem estes elementos. O modernismo foi um ganho, permitindo um pouco de liberdade, mas é um exagero dispensar completamente as regras, não é mesmo? Pelo menos o conhecimento delas. É gostoso relembrar os bons tempos de escola...rsrs.

      Excluir
  8. Oi, Leandro!

    Que post mais apaixonante! Descobri minha paixão por poesias recentemente e cada post que leio a respeito fico toda dengosa, haha! Suas dicas são muito legais para uma construção bem sucedida dos mesmos. Amei, parabéns!

    Sucesso com o blog sempre!
    Beijos, Belle.
    floraliteraria.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Flora! Obrigado pelo elogio. Adoro pessoas que têm essa paixão por poesias, somos cada vez mais raros né? Encoraje-se em mostrar suas construções para a gente! Beijos!

      Excluir
  9. Olá Leandro.
    Não conhecia nada de versificação, e não escrevo, mas seu post foi bem esclarecedor porque não entendo nada de poesia e poema, e nem sabia que tinha regras pra escrevê-los rsrsrs.

    Até mais!!
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Paty! Não encare como uma regra, mas sim como uns elementos úteis. Hoje não há mais a necessidade de usá-los, mas eu acredito que seja importante conhecer um pouco para melhorar a leitura e a escrita de poemas... rs

      Até mais!

      Excluir
  10. Olá, tudo bem? Olha confesso que não sou fã de ler nem escrever poesias, mas lá no ensino médio me lembro que uma professora de português nos fez aprender versificação. Era fora do currículo, mas incentivou muitos de lá a ler e escrever, inclusive eu. Achei ótimas as dicas que você deu mostrando a importância de um trabalho bem feito. Amei!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi carool! Tudo bem com você? Acho que para todos o primeiro contato com versificação foi lá no ensino médio mesmo. Foi aí, inclusive, que minha paixão por poesia aflorou. De lá pra cá estudei bastante sobre o assunto e me aprofundei. Posso garantir que me ajudou tanto como escritor quanto como leitor de poemas.
      Beijos!

      Excluir
  11. Olá. Parabéns pelo post, muito esclarecedor, uma ótima dica para quem escreve. Não entendo muito sobre versificação então não tenho nada a acrescentar, mas adorei as dicas. Teve uma época da minha vida que me arrisquei em escrever poesias, mas não rolou... Acho que se tivesse lido esse post na época teria me ajudado hahha .
    Amei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Nunca é tarde né? Quem sabe você se anime a escrever poemas agora? Eu tenho muita vontade de abrir oficinas de versificação em São Paulo, para incentivar pessoas que querem melhorar a escrita de poemas. Mande seus trabalhos para mim, adoro ler! Bjs!

      Excluir

Leia e Comente, sua opinião é muito importante para mim. Caso encontrem algum problema avisem.

Cliquem em "Notifique-me" para saber quando for respondido.

* Os comentários que possuírem link de algum blog terão a visita retribuída